Wednesday, March 1, 2017

AMSTERDAM, NOORD-HOLLAND, PAÍSES BAIXOS

Estando nós a viver na Holanda, é quase obrigatório falarmos da cidade mais conhecida deste pais, a cidade dos canais e das bicicletas: Amsterdam!

Letreiro do I AMSTERDAM, na Museumplein, Amsterdam

Escrevemos por isso esta publicação a descrever um roteiro que fizemos aqui na cidade, e que pode servir de inspiração para quem quiser visitar a capital dos Países Baixos.

O tempo necessário para visitar Amsterdam depende um pouco do que cada um quer visitar: apesar de ser uma cidade que, a caminhar, facilmente se vê num dia inteiro, o mesmo não se pode dizer se pretenderem aproveitar alguns dos museus ou experiências que a cidade oferece (por exemplo, passear de barco pelos canais).

Passeio de Barco pelos canais de Amsterdam

Uma das grandes vantagens desta cidade comparado com outras capitais europeias é a facilidade para lá chegar, vindo do Aeroporto: a cada 5 minutos (ou menos) há comboios que ligam o Aeroporto de Schiphol e a estação de Amsterdam Central em apenas 18 minutos.

Percurso de comboio entre o aeroporto de Schiphol e a estação de Amsterdam Centraal

Foi precisamente pela estação central que começámos, que pela espectacular fachada do edifício (com quase 100 anos) é também ela um ponto a não perder para quem vem a Amsterdam.

Amsterdam Centraal, Amsterdam

Da estação seguimos pela rua Damrak (onde estão a exposição Bodies e o SexMuseum, assim como outras tantas tourist traps) até a Dam, a praça principal da cidade.

Koninklijk Paleis, o Palácio Real, na Dam Square, Amsterdam

Aqui, alem do National Monument erguido num dos lados da praça (em memoria das vitimas na Segunda Guerra Mundial) estão vários edifícios importantes, como o Palácio Real, a Niewue Kerk (Igreja Nova), os armazéns De Bijenkorf ($$$$), e o museu de cera Madame Tussauds.

Niewue Kerk, na Dam Square, Amsterdam
Armazéns "De Bijenkorf", Dam Square, Amsterdam

Da praça Dam seguimos pela estreita mas muito turistica rua pedonal Nieuwendijk, que nos leva ate ao primeiro dos 4 canais principais da cidade, Singel.

Nieuwendijk, das ruas mais turísticas da cidade, Amsterdam

Amsterdam tem inúmeros canais, mas há 4 canais que, por terem funcionado como "vias circulares" da cidade (funcionando como as estradas circulares nas grandes cidades), adquiriram importância maior face aos outros.

Esses canais são, do mais interior para o mais exterior: Singel, Herengracht (neste canal era onde os ricos se instalavam, e por isso tem as casas mais bonitas), Keizersgracht e Prinsengracht.

Um dos 4 grandes canais circulares, Singel, em Amsterdam

Do inicio do Singel fomos passeando por entre os 4 canais (uma zona muito mais calma e tranquila que o centro da cidade) ate a zona da casa da Anne Frank, passando pelo meio por duas casas que merecem o desvio: Huis met de Hoofden (Casa das Caras, chamado assim pelos 6 bustos de deuses gregos na fachada) e Huis van Bartolotti.

Huis van Bartolotti, Amsterdam

Huis met de Hoofden, Amsterdam

No que toca à casa da Anne Frank, há que alertar: quem não compra bilhete online só pode entrar a partir das 15h30!!!

Tendo em conta as filas intermináveis, se pretendem visitar a casa onde Anne Frank e a sua família viveram escondidos dos Nazis, é ALTAMENTE RECOMENDÁVEL a compra dos bilhetes no site do museu (atenção que esgotam com bastante antecedência).

Anne Frank Huis, Amsterdam

Continuámos o passeio até a uma zona apelidada de 9 Straatjes (9 Streets), uma série de ruas cheias de galerias de arte, lojas vintage e cafés "hipsters", uma zona óptima para almoçar ou simplesmente relaxar um pouco.

9 Straatjes, Amsterdam

Dirigimos-nos depois de novo para a azafama do centro da cidade, passando junto ao Amsterdam Museum onde há uma passagem interior pelo meio do museu, onde estão expostas algumas das suas obras, e sem ser necessário pagar bilhete!

Passagem interior, gratuita, pelo Amsterdam Museum

Passagem interior, gratuita, pelo Amsterdam Museum

Essa passagem vai dar à porta de entrada do Begijnhof, um pátio interior rodeado por casas antigas tipicamente holandesas, construídas para servir de moradia para uma irmandade feminina religiosa, as Beguinas.

É um lugar onde a confusão das ruas à volta dá lugar a uma tranquilidade pouco comum no centro da cidade, e que vale mesmo a pena visitar!

Begijnhof, Amsterdam

Begijnhof, Amsterdam

Houten Huis, a casa mais antiga de Amsterdam, em Begijnhof

De Begijnhof seguimos pela praça de Spui e pela Kalverstraat, a zona turistica, até ao Bloemenmarkt, o mercado flutuante de flores!

Aqui vende-se todo o tipo de flores (e outros produtos turísticos), incluindo as célebres Tulipas e, claro, Cannabis.

BloemenMarkt, Amsterdam

Do mercado das flores continuámos até Rembrandtplein, uma praça dedicada ao pintor Holandês, que no centro tem uma escultura a reproduzir uma das suas pinturas mais famosas, "The Night Watch".

A estátua de Rembrant, e as esculturas da sua "Night Watch", na Rembrandtplein, Amsterdam

Perto da praça fica um dos pontos mais bonitos para observar os canais, o cruzamento entre Herengracht e Reguliersgracht, de onde se diz que se pode ver até 7 pontes!


Reguliersgracht, Amsterdam

Do "miradouro das 7 pontes" continuámos a percorrer o canal Herengracht em direcção a Leidseplein, já que a zona deste canal entre Vijzelstraat e Leidsestraat é conhecida como "The Golden Bend", a zona mais prestigiada do canal e onde os mais ricos tinham as suas casas.

Golden Bend, Amsterdam

Leidseplein é das praças mais movimentadas da cidade, onde está o Hard Rock Café (pouco interessante, prefiro chamar atenção ao tabuleiro de xadrez gigante onde todos os dias alguém está a jogar), e é um bom sitio para relaxar depois de um dia inteiro a caminhar.

Tabuleiro de Xadrez gigante, em frente ao Hard Rock Café, Amsterdam

Quando a noite começou a cair, voltámos à zona do centro para percorrer outra das zonas mais famosas de Amsterdam: Red Light District, situada à volta do canal Oudezijds Achterburgwal.

Red Light District - só vale a pena ver à noite -, Amsterdam

Aqui, para além do ambiente diferente caracteristico do bairro, não podem deixar escapar a Condomerie (loja de preservativos, de todos os tipos que possam imaginar) e a Oude Kerk, a igreja velha, à volta da qual estão a estátua de uma prostituta, e um relevo de mamas no chão.

Condomerie, a loja dos preservativos, Amsterdam

Relevo de mamas no chão do largo da Igreja Oude Kerk, Amsterdam

Esta é a nossa sugestão para um dia em cheio em Amsterdam!

Num segundo dia, sugiro dedicarem-se ao Museumplein (o parque dos museus, onde está o Rijksmuseum, Van Gogh Museum, e o famoso letreiro do I AMSTERDAM), ao gigante parque Vondelpark, ao mercado de rua Albert Cuyp, ou a um dos únicos moinhos existentes na cidade (que é ao mesmo tempo uma cervejaria), o Brouwerij't IJ.

Rijksmuseum, Amsterdam

Van Gogh Museum, Amsterdam

Vondelpark, Amsterdam

Albert Cuyp Market, Amsterdam

Moinho e Cervejaria Brouwerij't IJ, Amsterdam

Com tanto sítio interessante para passear na cidade, só resta uma dúvida:
WHERE SHOULD WE GO NOW???

No comments:

Post a Comment

Blog Widget by LinkWithin