Wednesday, March 29, 2017

CHINA, HONG KONG E MACAU (DIA 11) - GUANGZHOU (CANTÃO)

LISBOA - BEIJING - XI'AN - SHANGHAI - GUILIN -  GUANGZHOU (CANTÃO) - HONG KONG - MACAU - HONG KONG - LISBOA


Guangzhou

Este foi o nosso último dia na China continental, a "verdadeira" China, e por isso decidimos dedicar a nossa manhã a visitar uma das mais importantes cidades deste país, Guangzhou!

Também conhecida como Cantão, esta cidade tem mais de 12 milhões de habitantes e é uma das maiores cidades da China. Aqui o idioma mais falado não é o mandarim, mas sim o cantonês, usado nesta região do sul do país, bem como nas cidades autónomas de Hong Kong e Macau.


Vista de Guangzhou desde o nosso hotel

Não é, de facto, uma cidade rica no que toca a monumentos ou espaços culturais, mas vale a pena passar por aqui para perceber um pouco mais sobre a cultura e cozinha cantonesa.

A nossa primeira visita do dia foi o Templo Ancestral da Família Chen! 


Templo Ancestral da Família Chen, Guangzhou

Apesar do nome, não se trata verdadeiramente de um típico templo, mas sim de uma espécie de museu de homenagem a um dos maiores clãs da China, o da família Chen.

Templo Ancestral da Família Chen, Guangzhou

Construído entre 1890 e 1894, esta casa servia como centro de reunião e apoio a todos os membros da família Chen, os quais vinham de todos cantos da China e se encontravam em Guangzhou para fazer os seus negócios, para estudar, ou simplesmente para homenagear os seus antepassados.

Templo Ancestral da Familia Chen
Preço: 10 CNY (1.30€)



Templo Ancestral da Família Chen, Guangzhou

Escultura feita em marfim, no Templo Ancestral da Família Chen, Guangzhou

Seguimos depois até ao Sun Yat-sen Memorial Hall, outro dos pontos importantes da cidade. 


Sun Yat-sen Memorial Hall, Guangzhou

Sun Yat-sen foi uma das pessoas mais importantes na construção da China republicana, e um dos grandes responsáveis pelo fim da China imperial, e este memorial conta a história da revolução republicana, que se iniciou precisamente nesta regiao Chinesa.

Sun Yat-sen Memorial Hall
Preço: 10 CNY (1.30€)



Sun Yat-sen Memorial Hall, Guangzhou

Sun Yat-sen Memorial Hall, Guangzhou

Depois de um almoço tardio num restaurante local, seguimos junto ao rio, pela Canton Tower, até ao cais Lianhuashan, para embarcar às 18h00 no ferry que liga Guangzhou a Hong Kong.

Ferry Lianhuashan - Hong Kong (1h50m)
Preço de bilhete em 2a classe: 145 CNY (19.50€)



Canton Tower, Guangzhou

Ferry que liga Lianhuanshan (Guangzhou, China) a Hong Kong

Apesar de Hong Kong pertencer oficialmente à China, goza de uma autonomia especial sob o acordo de "um país, dois sistemas" que permite à cidade funcionar quase como um país independente. 

Por isso, ao embarcar no ferry em direcção a Hong Kong, estávamos a abandonar oficialmente a China! (com controlo de passaporte e perda de validade do visto de entrada no país)



Uma cidade que pertence à China, mas que é praticamente um país diferente: Hong Kong!

Este percurso de barco dura cerca de duas horas, e por isso chegamos a Hong Kong pelas 20h00, já de noite, onde desembarcamos em Vitoria Harbour. Foi uma óptima hora para chegar à cidade de barco, porque os grandes arranha-céus situados ao redor do porto já estavam iluminados, criando um cenário espectacular!


Vitoria Harbour com os seus arranha-céus iluminados, à noite quando chegámos no ferry a Hong Kong

Chegados à cidade, dirigimo-nos ao hotel onde iriamos ficar hospedados, o Renaissance Harbour View Hotel Hong Kong, e de imediato demos conta de uma série de aspectos que nos deram realmente a sensação de que tínhamos acabado de entrar num pais diferente: 
  • Apesar de chegados da China, tivemos de passar por formalidades de controlo de passaporte, com direito a carimbo e tudo, como se viessemos de outro país qualquer;
  • Deixamos de estar sujeitos a censura na internet! Facebook, Youtube, Google, tudo isto está disponível aqui o que, depois de 10 dias na China conservadora, nos deu uma grande sensação de liberdade!!
  • A moeda oficial não é o CNY chinês (Yuan), mas sim o HKD (Honk Kong Dollar);
  • Contrariamente à China continental, o inglês é falado em muitos sítios, o que ajuda bastante!
  • Os precos sobem. MUITO! Vindo da China continental, onde facilmente duas pessoas jantam num restaurante normal por menos de 10€, em Hong Kong os preços já não são tão convidativos (bastante mais caro, uma refeição para dois num restaurante normal pode chegar aos 50€...) e pela primeira vez tivemos que nos socorrer de fast food para o jantar;

Uma das diferenças que encontrámos em Hong Kong: a moeda, que deixa de ser o Yuan e passa a ser o Hong Kong Dollar


Renaissance Harbour View Hotel Hong Kong *****, Hong Kong

Apesar das muitas vantagens de estarmos em Hong Kong, foi com pena que deixámos a China continental, a "verdadeira" China, já que tanto Hong Kong como Macau são muito "falsificadas", demasiado orientadas ao turismo e aos turistas que por aqui passam e que, graças à isenção de visto existente para inúmeros países (ao contrário da China), acham que é tudo a mesma coisa.

No dia seguinte partimos à descoberta deste pequeno (mas imperdivel) "país", mas isso fica para uma próxima publicação!!!


O nosso percurso neste último dia na China continenta: Guangzhou - Hong Kong

No comments:

Post a Comment

Blog Widget by LinkWithin