Wednesday, April 5, 2017

CHINA, HONG KONG E MACAU (DIA 12) - HONG KONG I (Victoria Peak, Aberdeen e Kwoloon)

LISBOA - BEIJING - XI'AN - SHANGHAI - GUILIN - GUANGZHOU (CANTÃO) -  HONG KONG - MACAU - HONG KONG - LISBOA

A torre do Bank of China, Hong Kong Island, Hong Kong

Depois de explorarmos a China, onde tínhamos estado nos últimos 10 dias, chegou a vez de visitar algo completamente diferente mas igualmente interessante: a região autónoma chinesa de Hong Kong!!

Apesar de preferirmos de longe a China continental, por ser mais autêntica, Hong Kong é ainda assim um destino espectacular para visitar graças ao ambiente único desta cidade cheia de contrastes.

Aqui o Oriente encontra-se com o Ocidente, e tanto vemos templos budistas orientais como arranha-céus gigantes ao estilo ocidental. Fez-nos um pouco lembrar Shanghai, mas muito mais ocidentalizado!

A vista do nosso quarto no nosso hotel, bem perto de Victoria Harbour, Hong Kong

Estando o nosso hotel muito bem localizado bem no centro financeiro da cidade, a sul da baía, na chamada Hong Kong Island (em frente ao cais do ferry que liga esta zona a Kowloon, o lado norte), começámos por visitar esta ilha e saímos bem cedo pelo meio dos arranha-céus em direcção ao Peak Tram.

A vista desde o Peak Tram, a melhor maneira de subir ao Victoria Peak!

Peak Tram, que liga o centro financeiro de Hong Kong ao Victoria Peak

O Peak Tram é um funicular inaugurado em 1888 que sobe 373 metros, e é a melhor maneira de chegar àquela que é provavelmente a maior e mais famosa atracção de Hong Kong: Victoria Peak!

Este local, o ponto mais alto da ilha, é sem sombras de dúvidas o sítio com melhor vista da cidade.

Um cenário de postal, é a vista que se tem de Victoria Peak, Hong Kong

Do topo da Peak Tower, a uma altura de 428 metros, conseguimos ter uma vista magnifica sobre a baía de Hong Kong e os seus altos prédios!!

Peak Tower, no topo de Victoria Peak, Hong Kong

Este miradouro vale a pena ser visitado quer de dia quer de noite, mas acho que vale mais a pena de dia. Hong Kong é belíssima de noite, mas pessoalmente gosto mais da paisagem de postal que é a zona financeira iluminada vista do lado norte da cidade (e que também mostramos mais à frente).

Victoria Peak
Preço:
Sky Terrace 428 (miradouro no topo da Peak Tower): HK$ 48 (5.75€)
Peak Tram: 1 viagem HK$ 32 (3.80€), ida+volta HK$ 45 (5.40€)
Peak Tram Sky Pass (Peak Tram + Sky Terrace 428): 1 viagem HK$ 75 (9.00€), ida+volta HK$ 88 (10.55€)

Vista de Hong Kong desde o miradouro no topo da Peak Tower, Hong Kong

Vista de Hong Kong desde o miradouro no topo da Peak Tower, Hong Kong

De Vitoria Peak seguimos até à vila de Aberdeen, uma pequena vila de pescadores onde é possível ver muitas casas-barco, ancorados bem próximos uns dos outros, onde ainda hoje vivem muitas famílias.

Casas-barco em Aberdeen, Hong Kong

Casas-barco em Aberdeen, Hong Kong

Uma das melhores formas de ver as casas-barco e a baía é através de um passeio num barco típico chamado Sampan. O passeio leva-nos pela baía e pelo porto, passando também junto ao famoso restaurante flutuante Jumbo, que é enorme!

Passeio de barco Sampan em Aberdeen (+- 30 minutos)
Preço: entre HK$50 (6.00€) a HK$80 (9.60€), negociavel

O barco Sampan, a melhor forma de explorar a baía de Aberdeen, Hong Kong

Restaurante flutuante Jumbo, Aberdeen, Hong Kong

Letreiro de boas vindas do restaurante flutuante Jumbo, em Aberdeen, Hong Kong

De Aberdeen continuámos para outro dos sítios a não perder para quem vem a Hong Kong: Stanley market!

Stanley Market, Hong Kong

Existem vários mercados espalhados por toda a região, onde se vende tudo o que se possa imaginar numa espécie de feira onde TUDO se regateia, e o melhor (e menos caótico) fica na ponta sul da ilha bem junto à praia e chama-se Stanley Market.

Para além da oportunidade de passear pelo mercado, a sua localização junto à praia e à Repulse Bay permite que se possa apreciar a paisagem bonita desta zona, bem mais tranquila e calma comparado com a confusão do centro de Hong Kong.

Repulse Bay, Hong Kong

Repulse Bay, Hong Kong

Repulse Bay, Hong Kong

Voltámos depois ao lado norte da ilha, onde cruzámos o Victoria Harbour de ferry até Kwoloon, o centro urbano de Hong Kong. Aqui, depois de um almoço já muito tardio, fomos passear pela Tsim Sha Tsui Promenade, a marginal da cidade onde estão a torre do relógio de 1915 e o centro cultural de Hong Kong,  e de onde se tem provavelmente a melhor vista para a zona financeira.

Torre do relógio e centro cultural, na Tsim Sha Tsui Promenade, Kwoloon, Hong Kong 

A vista da zona financeira, desde a Tsim Sha Tsui Promenade, Kwoloon, Hong Kong

A vista da zona financeira, desde a Tsim Sha Tsui Promenade, Kwoloon, Hong Kong

Barco típico chinês que serve de cruzeiro na Victoria Harbour (na nossa opinião, uma tourist trap)

É também nesta marginal que se encontra a Avenue of Stars, o passeio da fama de Hong Kong ao estilo de Hollywood que homenageia actores, realizadores de cinema, cantores de ópera e todo o tipo de celebridades asiáticas através de estrelas gravadas no chão.

Estrela do Jackie Chan, no Avenue of Stars, Kwoloon, Hong Kong

Para nós a grande maioria das estrelas são-nos desconhecidas, mas houve naturalmente dois nomes que nos chamaram mais a atenção (a nós e a praticamente todos os turistas): Jackie Chan e Bruce Lee! Este último tem até uma estátua, tal é a fama que tem!

Estátua de Bruce Lee, na Avenue of Stars, Kwoloon, Hong Kong

Continuámos depois até à Nathan Road, a principal rua de compras de Kowloon (o nome desta zona de Hong Kong), onde cada centímetro é aproveitado para restaurantes ou lojas, e onde a rua parece não ter espaço suficiente para a quantidade de carros e pessoas que a atravessam.

Nathan Road, Kwoloon, Hong Kong

Esta rua é também conhecida como Golden Mile, não só pelas luzes de néon espalhadas um pouco por todo o lado, mas também pelas inúmeras lojas de joalharia, ouro, gadgets e relógios (é impressionante a quantidade de lojas ROLEX espalhadas pela rua! Há seguramente mais do que restaurantes fast food!).

Da movimentada e caótica Nathan Road seguímos até o Kowloon Park, uma espécie de oasis de tranquilidade no meio desta Hong Kong que parece nunca parar. Este parque, além de óptimo para descansar um pouco, é também bonito pelos seus jardins chineses e pelas aves que por aqui habitam, incluindo flamingos!

Kowloon Park, Kowloon, Hong Kong

Kowloon Park, Kowloon, Hong Kong

Do parque voltámos até à marginal, junto ao mar, atravessando a Canton Road. Esta também é uma das principais ruas de comércio da cidade, mas aqui comprar só com os olhos: uma rua inteira recheada com todo o tipo de lojas de luxo, onde está o maior centro comercial de Hong Kong também ele composto por lojas das marcas mais exclusivas e caras.

Canton Road, Kowloon, Hong Kong

Canton Road, Kowloon, Hong Kong

Fizemos este percurso de volta até à promenade porque, quando anoitece, a vista da cidade iluminada é absolutamente espectacular! Mais do que isso, é daqui que melhor se pode ver a Symphony of Lights, um show de som e luzes projectadas em 45 edifícios diferentes espalhados pela ilha de Hong Kong!

Ilha de Hong Kong iluminada, vista da Promenade em Kwoloon, Hong Kong

Ilha de Hong Kong iluminada, vista da Promenade em Kwoloon, Hong Kong

Ilha de Hong Kong iluminada, vista da Promenade em Kwoloon, Hong Kong

Foi a forma perfeita de terminar o dia, e por isso no final voltámos de novo de ferry para a zona sul para jantar e descansar no hotel, já que iríamos partir no dia seguinte para outra cidade que a nós portugueses nos diz muito: Macau! Mas isso fica para uma próxima publicação!!!

1 comment:

  1. Bom roteiro! Fico à espera da próxima etapa :)

    ReplyDelete

Blog Widget by LinkWithin