Wednesday, June 14, 2017

ISLÂNDIA (DIA 1) - REYKJAVIK

 AMSTERDAM - REYKJAVIK - VÍK - HÖFN - MÝVATN - AKUREYRI - REYKJAVIK - ÞINGVELLIR - REYKJAVIK - AMSTERDAM


A nossa viagem à volta da Islândia, que vos vamos contar nos próximos meses!

Hoje começamos a descrever a nossa aventura numa das ilhas mais misteriosas do planeta, situada bem no Norte da Europa e muito próxima do Círculo Polar Ártico: a Islândia!

A moeda islandesa, a Iceland Króna (ISK)

Este país, apesar de ter apenas pouco mais que 300 mil habitantes (menos que a cidade de Lisboa), é maior que Portugal, tem o seu território repleto de belezas naturais espectaculares, e é hoje um popular destino turístico recebendo cerca de um milhão de visitantes por ano.

Neste nosso primeiro dia de viagem embarcámos no voo das 14h00 da Icelandair com destino a Keflavik, uma terrinha a 50 km de Reykjavik onde se encontra o aeroporto internacional da Islândia.

O nosso avião, da Icelandair, que nos levou até à Islândia

O voo atrasou-se uma hora, mas no que toca à Icelandair, a companhia aérea nacional islandesa, apesar do conforto do avião e do entretenimento a bordo estarem ambos acima da média para um voo continental (não estamos habituados a ter filmes e séries em voos europeus), a verdade é que acabam por desiludir ao não oferecer refeição gratuitamente, ainda para mais sendo uma viagem de três horas...

Islândia vista do ar, à chegada ao aeroporto internacional de Keflavik

À chegada ao aeroporto internacional de Keflavik, Islândia

Por fim chegámos à Islândia pelas 16h30 locais e fomos direitos ao nosso hotel, o Airport Hotel Aurora Star (literalmente a 5 minutos a pé do aeroporto), para deixarmos as malas e podermos aproveitar o resto da tarde em Reykjavik.

Airport Hotel Aurora Star ***, Keflavik

Reykjavik é, com apenas 120 mil habitantes, a capital mais a Norte do mundo.

É uma cidade pequena, onde facilmente se passeia a pé pela zona mais turística, e onde não há grandes prédios ou edifícios mas sim casinhas pequenas de telhados coloridos.

Casas coloridas, Reykjavik

Reykjavik

Começámos por visitar a principal igreja da cidade, visível de muito longe ainda antes de se chegar a Reykjavik, a Hallgrímskirkja.

Hallgrímskirkja, Reykjavik

Esta igreja relativamente moderna está "guardada" por uma estátua de Leif Elriksson, o Viking que descobriu a América.

Leif Elriksson, em frente à Hallgrímskirkja, Reykjavik

Aberta apenas em 1986, tem uma fachada inspirada nas colunas de basalto do Sul da Islândia.

Hallgrímskirkja, Reykjavik

Interior da Hallgrímskirkja, Reykjavik

Do topo da torre, a 73 metros de altura, a vista sobre a capital e sobre os seus telhados coloridos é espectacular!

Hallgrímskirkja
Preço: Igreja - Entrada gratuita;
            Torre (miradouro) - 900 ISK (+- 8.00€)


Vista fantástica dos telhados coloridos de Reykjavik, do topo da Hallgrímskirkja, Reykjavik

Vista da capital islandesa, do mar e das montanhas que a rodeiam, Hallgrímskirkja, Reykjavik

Seguimos depois até à zona da baía de Reykjavik, onde junto ao mar está a escultura Sólfar.

Criada pelo artista islandês Jón Gunnar Árnason, faz lembrar um barco em viagem rumo a um território por descobrir, simbolizando esperança e liberdade.

Mais do que a escultura, a vista desde este local para o Oceano e para as montanhas é lindíssima.

Escultura Sólfar, Reykjavik

Continuámos a passear junto ao mar até à Harpa, a sala de concertos e centro de cogressos da capital.

Vista das montanhas do outro lado da baía, Reykjavik

Harpa, Reykjavik

Inaugurada em 2011, merece a visita não só pela fachada mas principalmente pelo seu interior, cujos inúmeros painéis de vidro vão brilhando ao longo do dia com a luz do sol.

Interior da Harpa, Reykjavik

Fomos depois até à zona mais central de Reykjavik, passear junto ao lago da cidade e percorrer a rua principal chamada Austurstræti.

Austurstræti, Reykjavik

Austurstræti, Reykjavik

Reykjavikurtjörn, o lago no centro da cidade, Reykjavik

Fríkirkjan í Reykjavik, no centro de Reykjavik

Aqui as ruas estão cheias de animação com muitos bares e restaurantes, mas estão também repletas de lojas de produtos típicos islandeses, como é o caso das famosas camisolas de lã islandesas (que apesar de muito quentes são igualmente muito caras, com preços sempre a rondar as 20.000 ISK, cerca de 200€).

Camisola de lã islandesa, Reykjavik

É aqui no centro, na praça Austurvöllur, que se encontra a Alþingishús, sede do parlamento da Islândia, o Alþingi, que é o mais antigo parlamento do mundo!

Com mais de MIL anos, o Alþingi foi originalmente fundado em 930 em Þingvellir, no interior da ilha, e foi apenas transferido para a capital em 1844, ocupando o actual edifício desde 1881.

Alþingishús, Reykjavik

Como era já tarde, decidimos jantar aqui na zona antiga, e já que pretendíamos uma refeição rápida e barata, decidimos ir a um Subway.

Foi aqui que tivemos o primeiro choque face aos preços elevados praticados na Islândia: 1100 ISK (+- 10€) por uma sandes pequena, bebida e batata frita de pacote....

Por fim regressámos a Keflavik e ao nosso hotel (que apesar da luz do dia nos enganar a parecer que eram quatro da tarde, o relógio indicava que já passava das onze da noite), mas não sem antes provarmos o famoso iogurte típico islandês, o Skyr!


Skyr, o famoso iogurte islandês, Keflavik

De Keflavik seguiríamos no dia seguinte para explorar a costa Sul da Islândia, mas isso fica para uma próxima publicação!!!


O nosso trajecto neste primeiro dia de viagem: Amsterdam - Reykjavik

1 comment:

  1. Obrigada pela partilha. A verdade é que me abriram o apetite...! Fico a aguardar o próximo post

    ReplyDelete

Blog Widget by LinkWithin