Wednesday, August 9, 2017

ISLÂNDIA (DIA 4) - DJÚPIVOGUR, BERUFJORDUR, MÖÐRUDALUR, DETTIFOSS

 AMSTERDAM - REYKJAVIK - VÍK - HÖFN - MÝVATN - AKUREYRI - REYKJAVIK - ÞINGVELLIR - REYKJAVIK - AMSTERDAM

Depois de termos percorrido toda a costa sul da Islândia, partimos neste quarto dia em direcção ao interior do Norte do país, onde o clima é muito mais frio.

Modrudalur, no interior do Norte da Islândia

Saímos bem cedo para a estrada, junto ao mar, por entre as altas montanhas e os fiordes do Este da Islândia.

Montanhas à saída de Höfn

A primeira paragem do dia foi feita precisamente num miradouro no topo de uma dessas montanhas, bem perto de Höfn, a cidade onde tínhamos ficado a dormir.

Miradouro perto de Hof

A vista da baía de Höfn e das montanhas em volta é espectacular.

Miradouro perto de Höfn

Continuámos depois pela costa de Laekjavik, onde pararmos de novo para apreciar as vistas muito bonitas das praias de areia negra junto às montanhas.

Miradouro na costa de Laekjavik, com as praias de areia negra

Miradouro na costa de Laekjavik, com as praias de areia negra

Fomos depois até Djúpivogur, uma pequenina terra situada à entrada do fiorde Berufjordur.

Djúpivogur

Esta terra de pescadores tem um bonito porto e vale a pena fazer uma pequena paragem aqui para apreciar as típicas casas de madeira destas zonas mais remotas da Islândia (em Djúpivogur vivem pouco mais de 400 pessoas...)

Djúpivogur

Djúpivogur

Djúpivogur

De Djúpivogur deixámos a costa e rumámos ao interior da ilha, entrando por dentro do Berufjordur, um dos grandes fiordes orientais, com uma paisagem espectacular.

Fiorde de Berufjordur

Fiorde de Berufjordur

Esta estrada, que avança pelo interior do fiorde em vez de o circundar, chama-se Oxi Pass. São apenas 20 quilómetros mas todo o seu percurso é de cortar a respiração graças às paisagens lindíssimas que esta estrada atravessa.

Oxi Pass

Fiorde de Berufjordur, visto do Oxi Pass

Um dos lagos junto ao Oxi Pass

Depois de avançarmos um pouco mais por entre esta região montanhosa, parámos junto à cascata de Rjukandi.

Além da beleza da cascata em si, foi também aqui que fomos brindados por um fenómeno que confirmou que estava de facto MUITO frio: neve!! Sim, em pleno mês de Junho e com o Verão à espreita, eis que começa a nevar, algo que nos acompanharia no resto deste nosso dia de viagem.

Cascata de Rjukandi

Cascata de Rjukandi

Da cascata fomos até Egilsstadir, e tendo sido esta a primeira terra por onde passamos desde há mais de 90 quilómetros, aproveitámos para almoçar aqui num mini-restaurante junto a uma bomba de gasolina, seguindo depois pelos vales rodeados de montanhas altíssimas e cheias de neve, e avançando cada vez mais para o interior da Islândia.

Montanhas cheias de neve do interior da Islândia

Montanhas cheias de neve do interior da Islândia

Ao final de muitos quilómetros pelo meio do nada, paramos finalmente em Modrudalur.

Modrudalur

Esta minúscula povoação é o mais alto local habitado existente no pais, a 469 metros acima do nível do mar, e é também dos mais frios: foi aqui que se registou a temperatura mais baixa de sempre na Islândia, quando em 1918 o frio chegou aos 38 graus negativos.

Möðrudalur

Möðrudalur

Möðrudalur

Além das vistas lindíssimas visíveis desde Modrudalur, esta terra é especial também porque depois de percorrer vários quilómetros onde não se avista nada nem ninguém a não ser a paisagem selvagem e montanhosa, foi quase como se tivéssemos chegado a um oasis bem no meio do nada.

Möðrudalur

Möðrudalur

Fomos depois até Dettifoss, que dizem ser a cascata mais poderosa da Europa.

Cascata Dettifoss

Com 100 metros de largura e 44 metros de altura, por esta cascata passam entre 200 a 500 metros cúbicos de água por segundo!

Cascata Dettifoss

Cascata Dettifoss

Da cascata, já bem encharcados graças à chuva que caia no final do dia e à própria água da cascata, rumámos ao ponto final desta etapa, o lago Mývatn, também chamado de.... lago dos mosquitos.....

Aqui, junto ao lago, ficámos hospedados no Hotel Laxá, onde jantámos um típico prato islandês de cordeiro e comemos um gelado de Skyr para terminar o dia da melhor maneira.

Hotel Laxá ***, Lago Mývatn

Gelado de Skyr, Hotel Laxá

O lago Mývatn - e toda a área que o rodeia - é das zonas mais bonitas e espectaculares da Islândia,
e por isso mesmo dedicámos o dia seguinte a explorá-lo com maior detalhe, mas isso fica para uma próxima publicação!!!

O nosso percurso no quarto dia de viagem: Höfn - Djupivogur - Egilsstadir - Möðrudalur - Lago Mývatn


No comments:

Post a Comment

Blog Widget by LinkWithin