Wednesday, August 30, 2017

ISLÂNDIA (DIA 5) - LAGO MÝVATN, GODAFOSS E AKUREYRI

 AMSTERDAM - REYKJAVIK - VÍK - HÖFN - MÝVATN - AKUREYRI - REYKJAVIK - ÞINGVELLIR - REYKJAVIK - AMSTERDAM

Dia 5 da nossa aventura à volta da Islândia, e dia de explorar as maravilhas naturais existentes à volta do Lago Mývatn, sendo que muitos dizem ser esta a zona mais bonita da Islândia.

Lago Mývatn

Começámos por visitar a zona de Namafjall, uma montanha que, na sua base, tem um conjunto de poços de lama a altíssimas temperaturas, com depósitos de enxofre, fumarolas e vapores de água que emanam da terra.

Namafjall, Lago Mývatn

Namafjall, Lago Mývatn

Namafjall, Lago Mývatn

Namafjall, Lago Mývatn

Esta zona de fontes termais chama-se Hverir, e a paisagem é de cortar a respiração (não só pela beleza, mas porque o cheiro a enxofre é insuportável!)

Namafjall, Lago Mývatn

Namafjall, Lago Mývatn

Namafjall, Lago Mývatn

Namafjall, Lago Mývatn

Bem perto desta área fica a estação geotermal de Bjarnarflag, junto à qual está um lago de água azul claro, e que vale a pena apreciar desde um dos miradouros existentes na zona.

Estação geotermal de Bjarnarflag, Lago Mývatn

Estação geotermal de Bjarnarflag, Lago Mývatn

Fomos depois até à localidade de Reykjahlið, onde visitámos o Visitor Center de Mývatnsstofa, onde está exposta alguma informação sobre a actividade vulcânica existente ao longo dos anos no lago Mývatn.

Visitor Center de Mývatnsstofa, Reykjahlið, Lago Mývatn

Depois seguimos caminho até Grjótagjá.

Grjótagjá, Lago Mývatn

Este é um dos sítios onde mais facilmente se pode ver a falha tectónica que atravessa a Islândia, e que separa as plataformas continentais da América e da Eurásia.

Grjótagjá, Lago Mývatn

Mas o nome de Grjótagjá vem da belíssima gruta que se esconde por dentro das rochas, onde existe um lago termal.

Gruta em Grjótagjá, Lago Mývatn

Esta gruta e o seu lago tornaram-se ainda mais populares depois de terem sido palco das filmagens da série "Game of Thrones", onde foram gravadas cenas românticas entre Jon Snow e Ygritte.

Gruta em Grjótagjá, Lago Mývatn

Da gruta continuámos para, para mim, o sítio mais espectacular desta zona, o vulcão de Hverfjall.

Vulcão de Hverfjall, Lago Mývatn

O vulcão é só por si muito bonito, mas o que verdadeiramente impressiona está no topo. Uma subida - cansativa - de 400 metros leva-nos até à impressionante cratera, com cerca de um quilómetro de diâmetro.

Vulcão de Hverfjall, Lago Mývatn

Vulcão de Hverfjall, Lago Mývatn

Além da beleza da cratera, este é também um óptimo local para contemplar toda a região de Mývatn, vista do topo do vulcão.

Uma curiosidade: foi aqui, nestas crateras do lago Mývatn, que os primeiros astronautas norte-americanos (incluindo Neil Armstrond) treinaram antes das suas viagens espaciais para a Lua.

Vista da região do Lago Mývatn desde o topo do vulcão de Hverfjall

Vista da região do Lago Mývatn desde o topo do vulcão de Hverfjall

Fomos depois visitar uma autêntica "floresta" de formações de lava, a zona de Dimmuborgir.

Dimmuborgir

Com mais de 2500 anos, este labirinto de rochas vulcânicas surpreende pela paisagem estranha, com rochas enormes de aspecto muito variado. É aqui, em Dimmuborgir, onde de acordo com as lendas islandesas vivem os Jolasveinar, os duendes de Natal da Islândia!

Dimmuborgir

Dimmuborgir

Dimmuborgir

Foi também por aqui que acabámos por almoçar (não há muito por onde escolher nesta zona no que toca à restauração), antes de seguirmos caminho até Skútustaðagígar.

Skútustaðagígar

Esta zona de nome quase impossível de pronunciar é onde está um conjunto de bonitas pseudo-crateras, e é provavelmente um dos melhores locais para apreciar a beleza do lago Mývatn.

Skútustaðagígar

Skútustaðagígar

É também o sítio ideal para entender verdadeiramente o porquê da alcunha de Mývatn ser "o lago dos mosquitos". Apesar de estarmos num local onde a temperatura máxima não passava dos 8 graus (e estávamos em Junho!!!) a quantidade de mosquitos nesta zona era absurda!

Skútustaðagígar

Skútustaðagígar

Saímos depois, finalmente, da zona do lago Mývatn, e rumámos para norte, até à cascata de Godafoss, chamada de "A cascata dos deuses".

Cascata de Godafoss

Com 12 metros de altura, é considerada com uma das cascatas mais bonitas de todo o país.

Cascata de Godafoss

Cascata de Godafoss

Chegámos depois, por fim, a Akureyri, o nosso destino final desta etapa.

Akureyri

Situada nas bermas do Eyjafjörður, um bonito fiorde do norte da Islândia, Akureyri é a segunda maior cidade do país, com pouco mais de 18 mil habitantes.

Igreja principal da cidade de Akureyri

Centro da cidade, Akureyri

Aqui demos um passeio, já ao fim do dia, pela zona mais central desta localidade, junto às águas do fiorde (onde com sorte se podem avistar baleias, embora não tenha sido o nosso caso).

Vista do fiorde desde Akureyri

E numa terra onde o peixe é rei, não podíamos deixar passar a oportunidade e por isso foi no centro de Akureyri que acabámos por jantar, num local relativamente barato (para os padrões islandeses, obviamente) chamado Akureyri fish.

O nosso jantar, no restaurante Akureyri Fish, Akureyri

Por fim, e apesar de ainda ser dia (nunca vimos noite durante a semana inteira que estivemos na Islândia), fomos descansar nos Saeluhus Apartments, onde ficámos hospedados.

Saeluhus Apartments, Akureyri

A vista do nosso quarto no Saeluhus Apartments, Akureyri

Precisávamos de recuperar energias já que o dia seguinte prometia ser o mais cansativo: iríamos regressar a Reykjavik, desta vez pela costa Oeste, mas isso fica para uma próxima publicação!!!

O nosso percurso no quinto dia: Nafamfjall - Grotagja - Hverfjall - Dimmuborgir - Skutustadagigar - Godafoss - Akureyri

No comments:

Post a Comment

Blog Widget by LinkWithin